MoM & GoldFlix - um pedacinho da minha história


Oi.
Eu sou a Kaka Fagundez, tenho 70 anos, sou maquiadora profissional e minha missão nesta terra é mostrar às pessoas o poder que elas tem.

Minha jornada de autoestima começou há muito tempo, quando me vi encurralada pelo meu próprio eu, me colocando contra a parede e me dizendo que EU PODIA TUDO QUE EU QUISESSE.
Foi então que eu entendi, que minha missão tinha começado e que nunca teria fim. 😉




Deixa eu te contar uma história..

Minha sede por adquirir conhecimento, especialmente na minha área, sempre foi muito intensa.

Desde que o blog começou, há quase 10 anos, a vontade de escrever e compartilhar dicas, produtos e conhecimento sobre o mundo da beleza, era muito grande.

Quando decidi criar o MoM (o que me custou quase 24h ininterruptas, para a criação propriamente dita) eu pensava apenas em escrever. Colar fotos, mostrar celebridades e suas maquiagens (muitas vezes inapropriadas) e assim por diante.

Quando a gente imerge em um projeto (nesse caso, o blog), perdemos um pouco a visão periférica e acabamos não percebendo a dimensão que nosso trabalho tem, a percepção do quanto ele chega até pessoas que tem alguma admiração pela nossa conduta.

Nos cursos de maquiagem e palestras sobre empreendedorismo, carreira, comunicação e marketing  que ministro, sempre abordo esse pequeno detalhe, que INDISCUTIVELMENTE faz diferença.

Postura, conduta, consciência e competência, são valores profissionais básicos que carrego comigo e faço o máximo que posso pra que as pessoas entendam que esses são os princípios para uma pessoa comum se tornar um profissional de qualidade, observado e requisitado por todos que desejam "ter" o melhor ao seu lado.

Nesses meus anos de caminhar pelo mundo da beleza, criei diversas oportunidades, das quais me trouxeram até onde eu estou.

Não existe acaso, tampouco coincidência.
Se você plantar, você vai colher. É a lei.




Recebi uma ligação da GoldFlix, me propondo uma parceria.
A princípio fiquei assustada, porque não tinha a menor noção do que isso significava.

Tratei de consultar pessoas próximas a mim, entendidas deste meio "televisivo/digital", que poderiam interpretar o que estava acontecendo.

Basicamente me disseram a mesma coisa: "não é qualquer um que recebe uma ligação dessas, com um convite desses, pra fazer crescer a sua imagem e ter a probabilidade de expandir seu trabalho através de um canal fechado de consumo.."

Venci.
O tempo. As pedras no caminho. A inveja alheia (que não é pouca, viu). A mediocridade de quem não tem propósito.
Venci meu medo, minha vergonha, aquela timidez que me acompanhava desde que nasci, me fazendo diversas vezes chorar por ter que apresentar trabalhos na escola e me fazendo acreditar que eu não era, que eu não podia.
Eu posso.
E vou PODER sempre, até o dia da minha morte.

Não é o fim. Não é o limite. Esse não é o máximo que alcancei.
É a penas o começo.
Não sei como Deus faz as coisas, mas sei o que ele QUER fazer. E vai.

Tenho o maior privilégio que um ser humano pode ter nesta vida: servir.

Obrigada a todos os envolvidos até aqui.

Bêzo.




Nenhum comentário: